PARTICIPE DA SEMANA DO ELETRICISTA PROGRAMADOR

Nessa semana você vai aprender em 3 passos como Programar CLP! De 13 a 17/07

Como funciona um radar de velocidade?

Como funciona um radar de velocidade?

Atualmente existem diversas formas de verificar a velocidade de um veículo, mas a mais utilizada é o radar. Normalmente as pessoas costumam nomear todo equipamento que está em uma rodovia de radar, mas o radar em si se restringe a um equipamento móvel responsável pela emissão de uma onde eletromagnética, que capta sua reflexão, determinando assim a velocidade do móvel.

Modo de Funcionamento

Existem dois tipos de radares, o radar fixo e móvel. O foco de hoje será no radar fixo, eles apresentam sensores instalados no asfalto, é comum de se identificar como linhas no chão próximo dos radares. Um radar fixo apresenta em sua grande maioria de 2 a 3 laços indutivos, nos quais são utilizados para calcular a velocidade de um veículo. Todo sistema começa a funcionar quando um corpo metálico (veículo), é identificado por cada laço indutivo, provocando assim um abalo no campo magnético concebido por cada um dos sensores.

Através desse abalo criado torna-se possível, através de um software, detectar o exato tempo que o corpo metálico levou para chegar até o outro laço indutivo. Levando em consideração que a distância existente entre os laços indutivos é fixa, se torna uma tarefa fácil calcular a velocidade utilizando-se da fórmula: Velocidade= distância / tempo.

Regras

Quando a velocidade obtida no cálculo apresenta um valor acima da permitida, o veículo é classificado como infrator. Alguns tipos de sensores podem até mesmo serem capazes de identificar bicicletas. Alguns chegam a ser mais precisos, conseguindo diferenciar o tipo de veículo em questão, traçando algumas características capazes de diferenciar carros, motos e caminhões. Através dessas informações que o detector é programado para multar carros que apresentarem uma velocidade acima de 80 km/h e veículos pesados acima de 60 km/h.

Detector de Velocidade

Um detector de velocidade possui um princípio semelhante ao de um radar, mas ao invés de utilizar laços indutivos ele utiliza uma fotocélula capaz de identificar a taxa de variação da luminosidade provocada quando há a passagem de um veículo.

Teste de Funcionamento

Foi elaborado um teste no qual cobriu-se a fotocélula, deixando apenas dois caminhos para a passagem de luz. Quando um veículo se aproximou e passou sobre cada caminho ele bloqueou por alguns instantes a luz, provocando assim uma variação na saída da fotocélula. Utilizou- se um osciloscópio digital de 100MHz, ele se trata de um dispositivo que mede sinais elétricos. Ele está conectado de forma direta com a área de saída da fotocélula, formando-se assim um sinal analógico que varia de forma contínua no tempo. Com o objetivo de agilizar o processo a função multímetro digital foi ligada no osciloscópio, mostrando assim a tensão em tempo real.

É importante lembrar que os processadores entendem somente sinais digitais, logo será necessária a utilização de um conversor para digitalizar a variação da tensão provocada pelo veículo. Utilizou-se também neste teste uma placa Arduino Uno, que foi ligada a alguns Shields, mais conhecido como circuitos de expansão para um projeto. O que se torna uma ferramenta muito útil, tendo em vista que você não terá o trabalho com a conexão, projeto e soldagem dos componentes eletrônicos.

Veja aqui outros vídeos:

[sspostsincat category=”Mundo da Eletricidade”]

Toda vez que o veículo passa por um orifício, o ponto de menor tensão na curva é detectado pelo software. Quando estabelece uma conexão conjunta com do osciloscópio ao Arduino, o software se torna capaz de calcular o tempo entre dois vales consecutivos. Com o auxílio do osciloscópio se torna mais fácil obter o valor do tempo entre as variações.

É importante lembrar que a distância entre os dois pontos do orifício é fixa. A distância é apenas dividida pelo tempo para obter-se a velocidade do veículo. De forma simples e prática formou-se um medidor de velocidade utilizando um Arduino e alguns Shields, todo o trabalho necessário foi realizado pelo software de forma simples e prática.

Espero que tenham entendido todo esse mecanismo por detrás desse aparelho incrível. Até a próxima!

Tags: |

PARTICIPE DA SEMANA DO ELETRICISTA PROGRAMADOR

Nessa semana você vai aprender em 3 passos como Programar CLP! De 13 a 17/07